Helena Prieto’s Blog

Just another WordPress.com weblog

O Ensino à Distancia – uma experiência inovadora Abril 17, 2009

Filed under: EaD — helenaprieto @ 12:42 pm
Tags: , ,

Há quase quatro anos atrás, fiz, por curiosidade, uma acção de formação sobre a plataforma Moodle e foi aí que , pela primeira vez , tive contacto com uma nova maneira de disponibilizar conteúdos, realizar actividades e inclusive avaliações de uma forma mediatizada e à distância controlada pelo professor e também pelos alunos que a usaram – neste caso nós os formandos -. Esta primeira experiência foi bastante positiva e constituiu o ponto de partida para futuros envolvimentos nestas actividades , com a consciência de que mais tarde ou mais cedo este será o caminho do futuro até porque as escolas têm visdo a construir as suas páginas e agregado o moodle.
A aventura correu bem e ficou a curiosidade de aprender mais sobre o assunto.
Nestes dois últimos anos, uma das minhas turmas – um CET de Informática, criou uma página para o curso com base no joomla – onde os professores foram disponibilizando materiais – fichas, testes, links para sites variados com elementos mutimédia – constituindo a par com as aulas presenciais uma base de trabalho que permitia mais flexibilidade de acesso às informações e flexibilidade nos percursos formativos dos alunos que poderam gerir a sua aprendizagem com maior autonomia e resultados positivos.

A escola onde estou presentemente, à semelhança de muitas outras, tem vindo a implementar o uso do Moodle, para disponibilizar conteúdos, actividades de diferentes disciplinas. Tenho três disciplinas de vários cursos que vou fazendo crescer.
Enquanto formadora comecei a aperceber-me das potencialidades de trabalhar desta forma, embora não exclusivamente. O sistema é presencial.
O acesso directo e organizado a conteúdos e actividades que se pretende realizar, quer sejam da nossa autoria , quer sejam de outrem com estabelecimento de links para diversas páginas, permitem ultrapassar e resolver problemas diversos – gastos em papel e fotocopias, assiduidade dos alunos …
Através de links organizados por temas , abrem-se novas possibiliddes para alargar o conhecimento e permite estabelecer aprendizagens mais flexiveis, onde cada aluno ou grupo pode explorar, no seu tempo e de acordo com os seus interesses, os temas que pretenderem.
Em relação a actividades como listenings  por exempo,- através da internet elas estão sempre disponiveis e o alnuno pode repetir quantas vezes achar necessário. – Há ,por isso, uma maior flexibilidade de gestão do tempo de aprendizagem pessoal.
As plataformas como o moodle permitem criar grupos de trabalho ( comunidades), criar e desenvolver diferentes métodos de trabalho, ter acesso a materiais multimédia via net, ou diponibilizar materiais criados pelos alunos e professores, actualizar informação, partilhar ideias , dúvidas , problemas, conversar … e tudo isto com um maior grau de autonomia e independencia.

Em relação a programas como a escola virtual , por exemplo, parece-me que a plataforma Moodle tem vantagens do ponto de vista da gestão de conteúdos – revisão, actualização, disponibilização aos alunos -e, sobretudo para áreas novas , como são os cursos que tenho leccionado últimamente, permite constituir o reservatório de conteúdos e actividades que de outro modo não seria possível.

A gestão dos conteúdos pode ser feita em conjunto com os alunos de forma a responder às suas necessidades de formação e estes , por seu lado, têm acesso a um leque de escolhas de materias e informação mais vasto e actualizado e podem contribuir para a construção do conhecimento com materiais e informação recolhida por eles e disponobilizada para o grupo. Neste âmbito podemos construir percursos de aprendizagem flexiveis adapatados às necessidades de aprendizagem e aos interessesde cada um.

Mas nem tudo são vantagens imediatas. Tudo isto é um processo que implica alguma mestria no uso da tecnologia envolvida – uma literacia tecnológica -que tem de ser aprendida e incluida nos processo de aprendizagens no ensino mediatizado. E o uso das plataformas de aprendizagem ainda não estão no curriculum oficial !!!! Mas vai-se fazendo …

Usar uma plataforma , seja ela qual for, e por mais user friendly que seja a sua interface, não é intuitivo. É  preciso aprender a utilizar essas novas  ferramentas e isso implica curiosidade, vontade de aprender, correr riscos , experimentar ….

Pela minha pouca experiência ,e tendo em conta que vivemos numa sociedade da informação, a necessidade de uma constante actualização de saberes com que nos debatemos enquanto profissionais , leva-nos a ter consciência de que precisamos de formação ao longo de vida, de partilhar as nossas experiências e  aprender uns com os outros a resolver os problemas e a enfrentar novos desafios. Neste sentido, o ensino a distância constitui uma opção. É uma porta, um “stargate” que torna isso possível.