Helena Prieto’s Blog

Just another WordPress.com weblog

CAEL – Directrizes de qualidade no desenvolvimento/avaliação de cursos online Fevereiro 4, 2011

Filed under: CAEL — helenaprieto @ 8:20 pm
Tags: , ,
qualidade na avaliação

No desenvolvimento desta actividade, foi-nos pedido um trabalho de grupo. O nosso grupo Developers, constituído pelo Joaquim Lopes, Paula Silva e Nuno Oliveira analisou  o artigo Considerations for developing evaluations of online courses (1). Para a comunicação o grupo utilizou o forum do grupo e o email, privilegiando assim a comunicação assíncrona. Decidimos iniciar a abordagem ao texto com a tradução deste. Cada elemento do grupo traduziu uma parte de acordo com o previamente estabelecido. Foi também sugerido utilizarmos ferramentas colaborativas de trabalho como um wiki ou um documento do google, acabamos por utilizar o próprio forum como espaço de trabalho onde fomos disponibilizando a tradução e a síntese. O resultado foi publicado no scribbord e encontra-se disponível online

O grupo lançou para debate a questão:

Se pretendesse construir um inquérito de avaliação da qualidade dos cursos online, quais seriam os principais aspectos que incluiria?

Pelo debate no forum chegamos à conclusão de que não existe o curso ideal, existem sim orientações que se podem organizar por tópicos:

– a instituição (fornecer as condições de desenvolviemnto de cursos de qualidade, os suportes tecnológicos e o apoio aos professores e alunos)

– a tecnologia disponível de suporte ao funcionamento do curso e as formas de comunicação

– o desing instrucional ( actividades mais colaborativas, estudos de caso…)

– os recursos e sua disponibilidade ( utilização de recursos actuias e de qualidade, com fácil acesso)

– as competências dos e-professor e a sua experiência ( competências, pedagógicas, científicas e tecnológicas)

– as competências dos e-alunos e suas experiências ( o perfil de partida do aluno e o domínio da literacia digtal )

– a disponibilidade dos intervenientes

Bibliografia:

ACHTEMEIER, Sue D.; MORRIS, Libby, V.; FINNEGAN, Catherine L. (2003) “Considerations for Developing Evaluations of Online Courses”. JALN 7, Issue 1.

 

http://www.edtechpolicy.org/ArchivedWebsites/Articles/ConsiderationsDevelopingEvaluations.pdfVolume

 

CARR-CHELLMAN, Allison & DUCHASTEL, Philip (2000) “The ideal online course”. British Journal of Educational Technology, Vol 31, Nº3 (229-241).

http://www.personal.psu.edu/users/k/h/khk122/woty/F2FHybridOnline/Carr-Chellaman%202000.pdf

 HERRINGTON, Anthony; HERRINGTON, Jan; OLIVER, Ron; STONEY, Sue & WILLIS, Jackie (2001) “Quality Guidelines for online Courses:The Development of an Instrument to Audit Online Units” In G. Kennedy, M. Keppell, C. McNaught & T. Petrovic (Eds.) Meeting at the crossroads: Proceedings of ASCILITE 2001 (pp 263-270).

TINKER, Robert (2001) “E-learning Quality: The Concord Model for Learning from a Distance”NASSP Bulletin, Vol. 85, No. 628, 36-46

 HOLSAPPLE, Clyde. W. & LEE-POST Anita (2006) “Defining, Assessing, and promoting E-learning Sucess: An information systems perspective”. Decision Sciences Journal of Innovative Education, Vol.4 Nº1 (pp 67-85)

Anúncios
 

CAEL – A qualidade no ensino aprendizagem em contexto online: uma teia de factores

Filed under: CAEL — helenaprieto @ 7:29 pm
Tags: , , , ,
umateia de factores de sucesso

Teia de factores de sucesso

No forum de discussão foram levantadas várias questões relativas aos factores de qualidade num curso online. Ficou claro que um curso online pode ter  um design instrucional de qualidade , mas isso, por si só  não é garantia do sucesso do curso. De facto há toda uma ” teia ” de factores que promovem a qualidade e o sucesso:

-o desing do curso tendo em conta os recursos da instituição e disponibilidade financeira;

– a credibilidade e o prestígio da instituição;

– a qualidade dos materiais pedagógicos;

– a qualidade de interacção entre os intervinientes ( professor/ aluno; aluno/ alunos)

– as actividades propostas e modos de as operacionalizar de forma a que os alunos se sintam motivados e interessados;

– o perfil de partida dos formando, considerando os seus interesses e competências

– a disponibilidade da turma para resolver colaborativamente as actividades solicitadas;

– as competências pedagógicas, científicas e tecnológicas do professor;

– o funcionamento amigável do sistema de suporte para o ensino online;

– facilidade de acesso aos materiais de estudo;

– facilidade de acesso 7/24h em todo o lugar;

– para o aluno é necessário possuir e saber usar equipamento tecnológico adequado.

….

Todos estes factores se conjugam, entreligam e deles depende o sucesso das aprendizagens e obviamente a qualidade dos cursos.

Como medir a qualidade dos cursos online? Sob que perspectiva? Da instituição ou dos alunos?

Para medir a qualidade dos cursos online há parâmetros e linhas orientadoras, estas podem incluir ou não o feedback dos alunos.

Há inclusivamente instituições que regulamentam os procediementos e aferem o grau de qualidade dos cursos online  como European Quality Observatory (EQO) (Observatório Europeu da Qualidade) para a promoção da qualidade para o E-learning.

Podemos observar que não há factores determinantes por si, mas existem os chamados factores chave  e os críticos .

Comentário meu:

A questão da avalição é sempre bastante complexa, porque ela própria é uma medida ou melhor uma referência para o sucesso. Mas será que há uma relação directa entre a qualidade de ensino e o sucesso de um percurso de aprendizagem?

Penso que esta é uma questão em aberto. Os factores de sucesso do percurso de formação não dependem só da qualidade do curso, mas também da motivação e do empenho do formandos. Isto parece-me que é uma verdade que se pode generalizar porque penso que é verdade para todos os processos de aprendizagem , independentemente de serem ou não feitos online. O que acontence é que o ensino/ aprendizagem online é uma inovação e a tecnologia permite incluir novos modos , talvez mais apelativos e holisticos de veicular a informação e também de interagir.

De todos os factores promotores de sucesso (entendendo como factores de sucesso tudo o que serve para motivar o formando e facilitar a sua aprendizagem) destaco o design amigável e visualmente atraente que permita um acesso simples e uma utilização correcta e intuitiva das plataformas ou outros ambientes virtuais de aprendizagem; a multiplicidade de formas de mostrar o conteúdo ( texto, som e imagem) de modo a abranger os vários tipos de aprendente; o acompanhamento e o feedback dos pares e professores. No desenho dos cursos online este aspecto, na minha opinião,  é crucial para que a interacção seja mais real. No entanto, nada disto será por si só determinante no sucesso dos formandos se estes não se empenharem, mas podem ser considerados aspectos para aferir da qualidade do curso.

O modelo conceptual de Klein et al (2006) aponta também para as características do formando enquanto elemento fulcral no sucesso final do curso.

Também penso que é necessário ter em conta alguns factores externos a todo o processo de ensino/ aprendizagem online que podem influenciar a qualidade e o sucesso final como por exemplo o prestígio de uma determinada instituição ou professores, o carácter inovador ou o desafio que representa para o formando ou o ” espírito do tempo” ou por outras palavras, a moda.

Penso que mais do a tecnologia fantástica, o design maravilhoso e apelativo, o que realmente faz uma grande diferença é a qualidade da interrelação que se vai construindo pelos actores no processo – os e-professores e os e- alunos-, a sua motivação, capacidade de entre ajuda e sensibilidade para perceber o outro e chegar até ele, em suma o diálogo pedagógico e o apoio que se dá e recebe, em suma a dimensão humana de todo o processo é sempre a chave do sucesso. E essa dimensão humana  é , já em si, uma enorme e complexa teia, em especial quando se trabalha com metodogias colaborativas de produção de conhecimentos em que os próprios entervenientes são também portadores de informação e conteúdos em permanente interligação.

Bibliografia: 

PENNA, Maria Pietronilla & STARA, Vera (2008) “Approaches to E-learning quality Assessment”. http://isdm.univ-tln.fr/PDF/isdm32/isdm_pietronilla.pdf

WISENBERG, Faye & STACEY, Elizabeth (2005) “Reflections on teaching and Learning Online:Quality program design, delivery and support issues from a cross-global perspective”. Distance Education Vol.26, Nº3, (385-404). http://casat.unr.edu/docs/Weisenberg2005.pdf